quinta-feira, 13 de março de 2014

Embondeiro


EMBONDEIRO

Ali, só, fantasma insaciado,
eremita de pélagos distantes
ei-lo, gigante a procriar gigantes,
ei-lo apóstolo e dragão
das noites tenebrosas, agoirentes,
das noites pardacentas do sertão.
emoções,
fazem-me crer pedaços de montanhas
ali os vejo e... oh sensações estranhas,
secretas emoções,
fazem-me crer pedaços de montanhas
deixando interjeições!
Olimpico titã de ousadas fantasias,
vagabundo faminto, sobrio, só, 
erguendo os braços rudes e mirrados
em caminhos de pó,
lembram-me mais o grito de aflição
desta África adiada:
a fome a caminhar pelo sertão,oo
a trágica visão à beira-estrada!

2 comentários:

  1. A foto é também poesia _ as duas belissímas !

    ResponderEliminar
  2. A árvore solitária da savana...

    Um abraço.

    ResponderEliminar